terça-feira, dezembro 20, 2005

Cavaco vs Soares

No debate desta noite, Mário Soares mostrou o que é:
Uma figura da História.

Procurou estabelecer um rumo para a discussão totalmente virado para o passado – fazendo correcções pontuais para o futuro quando mais lhe convinha – e aplicou a estratégia do underdog, de quem está a perder e tenta desesperadamente puxar o seu principal adversário para a "lama". Mas esta "lama" nem foi sobre matéria de facto, foi sobre o passado. Propostas, nada!
Durante todo o tempo que durou o debate, Soares não avançou uma única ideia sua. Fez também um exercício de comparação entre os livros escritos por si e por Cavaco Silva, estratégia patética e até infantil, que deve querer provar que os candidatos me medem à página ou ao Kilo.
Tendo em atenção a actual conjuntura do país, esperava-se mais do candidato do Partido Socialista.

Cavaco foi exemplar. No início, pareceu-me que Cavaco Silva estava nervoso e que iria ceder às provocações, muitas vezes no limiar da educação e do bom-senso. Mas não.
Foi sólido nas respostas sobre o passado, claro nas suas propostas e com um discurso virado para o futuro. Demarcou-se bem, afirmando muitas vezes “somos diferentes”. Salientou as suas qualidades de forma sensata, séria e adequada. Falou dos problemas do país - coisa que Soares apenas enumerou e mal.
Manteve, e do meu ponto de vista bem, a postura de não agressão, ficando a imagem de homem sério e educado, precisamente o contrário do transmitido por Soares.

Registo, com tristeza, determinadas intervenções de Mário Soares, nomeadamente ter considerado Cavaco um "razoável economista" e “um homem sem conversa” e lamento também que o candidato do PS tenha levantado suspeitas sobre as capacidades e forma negocial de Cavaco Silva das diversas rondas europeias em que este participou.

Para mim, ganhou Cavaco Silva.

2 comentários:

Passarinho disse...

Não poderia estar mais em acordo.

Subscrevo e, assino por baixo!

É uma pena não se poder comprar educação!

Filipe G. Zuluaga disse...

Tiraste-me as palavras, pois ia escrever um post a dizer 90% das coisas que já escreveste.
Deste debate, que também para mim foi ganho por Cavaco Silva, devo ainda destacar a sublime afirmação de Mário Soares de que o défice foi provocado pelos Governos PSD e ele a dizer que percebia razoavelmente bem de economia quando as duas vezes que o FMI teve que intervir em Portugal foi durante os seus Governos.