segunda-feira, dezembro 05, 2005

No domínio dos princípios…

Hoje um professor alertou-me para um facto óbvio mas sobre o qual poucos reflectem.
Se há uma clara separação entre Estado e Igreja, se tiraram os crucifixos das salas de aula, porque é que se celebram feriados religiosos?

“Ele há coisas…”

3 comentários:

mary aldim disse...

Pois é diogo, por acaso é 1 tema ao qual eu já tinha pensado!! É interessante e ao mesmo tempo deplorável ver a hipocrisia das pessoas nestes temas... Não permitem os crucifixos nas escolas, porque o Estado é laico mas as férias do Natal e da Páscoa sabem sempre bem... diria mesmo indispensáveis na sociedade portuguesa( e o mesmo se diz no que refere ao subsídio das férias do Natal, claro). Ainda não vi qual o problema de 1 crucifixo numa escola... Mas espero que alguém tenha 1 boa justificação!! Ou então se me arranjarem 1 boa justificação, proponho sermos coerentes e deixarmos de celebrar o Natal, Páscoa... todos os feriados católicos e deixar o próprio Estado de fazer cerimónias religiosas como foi feito agora a Sá Carneiro!
Se a maioria dos portugueses são Católicos,(uns mais do que outros) porque não admiti-lo e vivermos em sociedade segundo o que somos e acreditamos?

Utilizador rejeitado disse...

Pois sem querer subestimar esta opinião, deixo outra ideia interessante:
Se há uma clara separação entre Estado e Igreja, se tiraram os crucifixos das salas de aula, então porque é que o Presidente da República agracia as altas individualidades com o grau de cavaleiro da Ordem de Cristo, cavaleiros da Ordem de Avis e Ordem de Santiago da Espada, que incluem precisamente a cruz de Cristo? Ele há coisas...

D.Noivo disse...

Podes ter razão Rui. Não tinha pensado nisso.
Mas as condecorações ainda percebo porque têm que ver com a indepêndencia e percurso histórico do Estado Português.
Agora o resto já é outra conversa...