segunda-feira, janeiro 02, 2006

A Crítica

Gosto da crítica. Apraz-me esta actividade pois a ela estão subjacentes os processos de aprendizagem e de formação de carácter. Então para quem se encontra na nossa área penso ser vital saber lidar com ela.

Agora sejamos frontais e deixemo-nos de falsos moralismos: Essa balela de que a crítica tem de ser positiva e/ou construtiva não passa de uma ópera bufa protagonizada por “virgens ofendidas”! Por vezes a crítica tem de ser destrutiva pois é mesmo esse o seu intuito!
Claro que existem limites e é obvio que tem de ser formulada de maneira cordial e educada. Também, se assim não fosse não era crítica, era insulto.

Tenho visto neste blog alguns comentários que me parecem merecer especial atenção.
Sou dos bloggers que mais defende e promove os comentários e fico muito feliz quando leio os comentários feitos, especialmente por pessoas que não estão ligadas à nossa instituição, mesmo quando esses juízos de valor não nos são favoráveis. Entendo ser esse o propósito do blog, o de colocar as nossas opiniões ao escrutínio de quem as quiser ler e, consequentemente, obter o respectivo feed-back.
Por outro lado, os comentários anónimos ou identificados com siglas e iniciais imperceptíveis já me merecem outra apreciação. Num blog onde todos se identificam (e os que não o fazem, devem-no fazer) não vejo justificação valida para quem comenta não alinhar pela mesma bitola. Se estamos a falar de pessoas idóneas e responsáveis, então não percebo o porquê de se camuflarem em artifícios para comentar.
Meus amigos, ano novo vida nova! Vamos lá continuar a dar um bom rumo a este nosso blog, mas agora com a participação de todos.
Aos que já comentam de forma condigna peço-vos que continuem a fazê-lo e não tenham receio de ser duros. Nós agradecemos! Só assim podemos aprender!

Um Abraço

5 comentários:

Anónimo disse...

Olha-me este quer descobrir a roda! Aguenta-te e cala-te...

D.Noivo disse...

Para quem não tinha percebido qual o alvo do texto, sugiro a leitura do comentário anteriormente feito.
O seu autor é claramente - como referido no post - uma pessoa não idónea, não responsável e, muito provavelmente, desprovida de faculdades intelectuais.

PS- Não é uma tentativa de descobrir a roda, é apenas salientar o que deveria ser obvio. Já deu para perceber, pelo teu comentário, que não é tão obvio assim...

D.Noivo disse...

PS2- Ah, e deu para perceber também que não sabes ler. Não me queixo.
Lê lá outra vez. Se chegares à mesma conclusão que obtiveste quando leste o post pela primeira vez, prometo aqui fazer um texto sobre as deficiências do sitema educativo primário em Portugal.

Rui Estêvão Alexandre disse...

Muito Bem, Noivo!
Quando vejo, ouço ou leio seja o que fôr, que por motivo mais ou menos óbvio vem revestido de uma capa que tenta encobrir o autor de tais palavras, a minha reacção é quase sempre a mesma ... Ignorar, mas com prazer! Os pobres de espírito, vítimas do inerte sistema de educação primária em portugal, apredem bem melhor quando ignorados. Às vezes até "choram"!

D.Noivo disse...

Nem mais Rui!
É pena é que isto, que é claro para nós, não o seja para todos...