segunda-feira, janeiro 23, 2006

Cavaco dispensa oral com Dr. Alegre

Cavaco Silva passa com 10 Valores
Contrariando todas as últimas sondagens, que ao longo do último mês vieram garantindo a estrondosa vitória à primeira volta com percentagens desde os 60% aos 53%, o doutor Cavaco, esse pobre e humilde senhor, representante de todos os portugueses, vence (confirma-se) mas apenas com 10 valores, nesta difícil prova. Uma maioria absoluta, que hoje se começa naturalmente a desvanecer, levou cavaco a Belém com apenas cerca de 2,5 milhões de votos. É pouco, muito pouco mesmo para se ser o presidente de todos os 8 milhões e oitocentos mil portugueses eleitores. Pode dizer-se que a culpa, porque há sempre um culpado, é da abstenção, dos cerca de 38% dos eleitores que decidiram o seu voto em casa, no sofá da sala. No entanto, estes 38% de abstenção parencem-me muito claros. Se tivessem saído de casa para votar, Cavaco teria de disputar uma segunda volta com Alegre. Teria de se apresentar a oral com o poeta! Esta foi uma típica abstenção por certeza de derrota da esquerda. Poderia ter sido diferente se a esquerda se tivesse apresentado unida. Mas este humilde senhor, vindo lá de longe, de Boliqueime, professor catedrático, ex-primeiro-ministro, poderá e deverá ser um bom presidente. Ele, hoje, é já irremediavelmente o Presidente de todos os portugueses. A partir de dia nove terá hipótese de mostrar se há uns portugueses mais iguais do que outros. Se será capaz de colaborar eficazmente com São Bento. Se será capaz de contribuir para elevar a moral dos portugueses (a isso se comprometeu). Vamos ver!

1 comentário:

Utilizador rejeitado disse...

Só me das vontade de rir...

Pouco é 10% ou lá aquilo que o teu patrão teve!